sexta-feira, 24 de março de 2017

COMBOS DO MÚLTIPLO (1 AO 6) - RESERVE JÁ O SEU!!!

ALFA - A PRIMEIRA ORDEM

Alfa - A Primeira Ordem

Olá, somos um grupo com aproximadamente 20 autores de diferentes lugares do Brasil e estamos reunidos para lançar um grande encontro de super-heróis nacionais chamado ALFA ★ A Primeira Ordem.

Nosso projeto está em campanha no Catarse, um site bem conhecido e sério que promove o financiamento coletivo.

Veja só: https://www.catarse.me/alfa

Temos o objetivo de vender antecipadamente as edições através do Catarse para financiar a produção desta edição. O prazo para arrecadação de financiamento coletivo via Catarse vai até o dia 21 de abril. Atingida a meta, a previsão de lançamento do álbum é em agosto de 2017.

Além de nossos personagens, conseguimos também alguns super-heróis brasileiros clássicos, como Capitão 7, Capitão Gralha, Flama, Raio Negro e Homem-Lua, que foram sucesso nos anos 50 e 60, na TV, no rádio e nos quadrinhos da época. É uma forma de regatar esses personagens, que são patrimônio de nossa cultura e apresentá-los às novas gerações.

Quem administra o projeto é Elenildo Lopes, que rebebeu o 33º Troféu Angelo Agostini, e o Prêmio da Academia Brasileira das Histórias em Quadrinhos.
Não deixe de apoiar comprando através do Catarse!!

O projeto contará com roteiros do experiente Gian Danton - autor de A Família Titã e Como Escrever Quadrinhos, entre outras obras - e arte de Márcio Abreu, profissional que trabalha com editoras como DynamiteEntertainment e ZenescopeEntertainment. As cores ficam a cargo de Vinícius Townsend, que também já trabalhou para a DynamiteEntertainment.
Mais informações:
www.meuheroi.com.br/ALFA
www.facebook.com/ALFASUPERHEROIS
@MeuHeroi

quinta-feira, 23 de março de 2017

TCHÊ 42

Tchê 42
Janeiro de 2017. Capa de Laudo Ferreira Júnior e 4ª capa de Daniel HDR. 40 páginas, capa colorida e miolo p&b, formato A5, xerox, R$ 5,00 (tchedenilson@gmail.com).

O fanzine Tchê chega em seu trigésimo ano de publicação alternatival, mantendo a estrutura de misturar artigos e quadrinhos. Apresenta os trabalhos de Laudo Ferreira Júnior (SP), Jeferson Adriano (MG), Bira Dantas (SP), Fafá Jaepelt (SC), Edgar Franco (GO), Rodrigo dos Santos (RS), Edenilson Fabrício (SP) e Henry Jaepelt (SC), além de ilustrações de Adão de Lima Jr (RS). Ton Marx (PR) e Lunyo Alves (DF).

A parte jornalística traz entrevista com Laudo, resenha sobre o show de David Gilmour, artigos sobre os bárbaros nos quadrinhos e adaptações cinematográficas recentes ligadas ao gênero e fecha com a tradicional Seção de Cartas.

“A Quem Interessar Possa”, de Laudo, é um dos destaques da edição. Com roteiro bem construído, diálogos instigantes e desenhos excelentes (o original é color) traz em suas três curtas páginas a marca indelével do autor. Na história, artista em crise faz uma reflexão do alcance e interesse de sua obra recém compilada.

“Nova Ordem Reloaded”, de Praxedes/Bira Dantas, é uma HQ de humor, nitidamente com um discurso social revolucionário ou de esquerda. Faz aquelas tradicionais críticas ao sistema capitalista, exploradores e, claro, o Clero, tendo como pano de fundo personagens em busca de uma sociedade mais justa, uma utopia igualitária. Tem momentos até engraçados e os desenhos de Bira são sempre agradáveis, mas o roteiro deixa a desejar justamente por esta visão socialista que acaba pesando a mão sobre o trabalho.
Maria Jaepelt tem um traço delicado e faz um humor leve, descontraído e por que não? Divertido!

“Gene Egoísta”, de Ciberpajé, explora, em uma linguagem poético-filosófica, todo o peso do egoísmo sobre o planeta e os seres vivos, uma condição que nos condena a um tipo de existência inferior e infeliz. Os textos são pérolas poéticas que chegam a um patamar confortador, reflexivo, uma marca e necessidade do autor em seus mais recentes trabalhos, os HQForismos. E pulsante também nesta HQ.

“Anjo Urbano em: Feitor da História”, de Rodrigo dos Santos, apesar de um tanto amador na arte, apresenta um bom roteiro, criativo, bem construído e com uma sacada interessante quando o herói é atacado pelo vilão da história, Lorde Bhaurus, O Intelectual.
“Carga”, de Henry Jaepelt, é a cara do Tchê. Presente desde a primeira edição, um dos precursores do quadrinhos poético-filosóficos, apresenta mais uma ótima HQ, explorando com a bela arte característica, a psicologia e seus dilemas.

Tchê segue firme na estrada e só temos que agradecer ao Denílson Reis por manter esta publicação tão importante para os quadrinhos brasileiros e os novos autores. O fanzine vai continuar, nos diz Denílson, e podemos esperar por mais boas novas neste ano comemorativo. Ainda bem!
RESENHA RETIRADA DO SITE DA ATOMIC EDITORA: http://atomiceditora.blogspot.com.br/2017/03/tche-42.html

Cabal # 4 vem aí!!!

MOSTRANDO A FORÇA DO QUADRINHO NACIONAL E A FORÇA DOS FANZINES, VEM AÍ MAIS UMA EDIÇÃO DO "CABAL" E COM UMA SUPER CAPA DO AMIGO LAUDO FERREIRA JR.
DEMONSTRAÇÃO DE RESISTÊNCIA, MAIS UM FANZINE QUE MARCA O SEU RETORNO COM UMA PERIODICIDADE ADMIRÁVEL E CONTEÚDO DE QUALIDADE!!!
NESTA EDIÇÃO: LAUDO FERREIRA, LUIZ IÓRIO, CARLOS CLAUDINO, AIRTON MARCELINO, CARLOS RENO, MÁRCIO SENNES, ALCÍONE, CARLOS RODRIGO, ROMÃO, OMAR VIÑOLE, CARLUS ALEXANDRE, JULIO SHIMAMOTO, NEI RODRIGUES E HÉLCIO ROGÉRIO!

quarta-feira, 22 de março de 2017

Distribuição Independente de Quadrinhos Nacionais

Muito se discute hoje em dia as razões da dificuldade em encontrar quadrinhos nacionais impressos e de boa qualidade. Muitos atribuem à distribuição o problema, mas existem hoje iniciativas que suprem bem esse problema, como os financiamentos coletivos, o catarse, e mesmo alguns editores que mandam imprimir suas publicações e as distribuem pelos correios, como é o caso do Múltiplo. O que falta então?
No meu modo de ver, falta o compromisso dos leitores e fãs dos quadrinhos em adquirir as publicações, dando o seu apoio integral aos projetos que surgem e às iniciativas em prol de um quadrinho nacional mais forte. As dificuldades não param por aí, mesmo alguns mestres do nosso quadrinho nacional, como é o caso do Edgard Guimarães, que fazem um informativo periodicamente e bimestral há mais de vinte anos, encontram dificuldades de deslanchar da forma como seria necessária.
Nem a ideia de se disponibilizar um periódico gratuito e on-line faz com que as pessoas se movimentem, divulguem e distribuam a ideia. E quando surge uma publicação em que o leitor vai ter apenas o custo da impressão e do frete, nem assim se veem estimulados a apoiar o projeto. O Múltiplo está aí, on-line e também impresso, um projeto que está tentando resgatar o gosto pela leitura de HQs nacionais, que visa informar e divulgar. Mas você, que sempre lê as postagens, está fazendo o que para apoiar e divulgar a iniciativa?
Os impressos, infelizmente, não há como enviar a todos de forma gratuita, mas ele está aí, on-line para quem quiser baixar, sem custo algum. Mas você, que gosta de quadrinhos, tem a opção de adquirir a revista pelo preço de custo, e isso viabiliza uma maior divulgação do artista. Então fica a pergunta: por que de tanta dificuldade em se conseguir vender um mínimo necessário para que a edição seja impressa? A crise?
Talvez, mas acredito que cada um pode contribuir de alguma forma, seja com um exemplar ou mais, ou mesmo, divulgar para os amigos e fazer acontecer. E não falo isso somente do Múltiplo, há um leque enorme de publicações por aí esperando o seu apoio. Vamos mudar essa história? Comente, divulgue, elogie e critique construtivamente para que as publicações possam evoluir e nos dar o melhor do nosso quadrinho.

André Carim

terça-feira, 21 de março de 2017

O BOICOTE EDITORIAL QUE O AUTOR NACIONAL SOFRE

O texto a seguir eu o escrevi no Facebook há algum tempo. Mas, como apareceram novos amigos, desde então, resolvi transcrevê-lo.
O BOICOTE EDITORIAL QUE O AUTOR NACIONAL SOFRE

Desde muito cedo, tive inclinação para a escrita. E, num dia do final de 1944 (foi numa das minhas últimas aulas que tive no antigo curso primário), a professora perguntou aos alunos o que queriam ser quando crescessem. Fui a única nota destoante da classe. Todos respondiam: médico, dentista, advogado, enfermeira, professora etc. Fui o único que disse que desejava escrever. Vi os risinhos dos colegas, o ar de mofa da professora. Mas não me dobrei. Segui o meu sonho. Na verdade, sigo até hoje esse sonho.
Não é nada fácil ser autor em nosso país e ver seu livro publicado.
As grandes editoras só se interessam pelos medalhões (ou então por livros de autoajuda) ou por livros traduzidos (best-sellers que já vêm com propaganda feita em seus países de origem. Best-sellers que são escritos por diversas mãos, apesar de um único nome aparecer como autor. Na verdade, o leitor está comprando gato por lebre, acreditando que está lendo um livro de seu escritor favorito).
O autor nacional, de maneira geral, vê seu livro ser rejeitado. Várias editoras devolveram originais meus numa velocidade… Um editor, inclusive, disse o seguinte, na carta que enviou junto com o original devolvido: “Seu livro é muito bom. Tem grande potencial de venda. Mas, no momento, preferimos lançar traduções. Não gostamos de arriscar com autores nacionais. Agora, se quiser bancar a edição…” Era editor de uma grande editora.
Outro dia, fui a uma grande livraria num centro de compras. Os livros nacionais estavam num cantinho, escondidos. Como querem que esses livros vendam? Como querem que o autor nacional progrida, melhore sua escrita, se não investem neles?
Algumas vezes, leitores reclamam dos livros escritos no Brasil. Falam que não é literatura. Comparam com livros estrangeiros. Mas não sabem que esses atuais livros vindos de fora (sobretudo, dos Estados Unidos) não têm um único autor. São escritos por uma verdadeira equipe. Então, como o autor nacional pode competir com eles? Não pode!
E digo mais: se o leitor nacional não prestigiar o autor nacional, ninguém o fará!
O autor nacional é um verdadeiro herói, que, muitas vezes, tem de custear do seu próprio bolso, a edição do seu livro.
Há muito que deixei de prestigiar grandes editoras. Aliás, sempre fui esnobado por elas. Portanto, não compro nada que elas lançam. Nem sei o que elas editam. Não sei e nem me interessa. Isso se aplica também na área das histórias em quadrinhos.
Meu caminho sempre foi nas pequenas e médias editoras, nas quais pude escrever e lançar o que queria.
E, hoje, continua sendo nas pequenas e médias editoras que meus livros são publicados. Agradeço ao pessoal da Editorial Corvo, da Editora Laços e da Argonautas Editora por acreditarem meu trabalho.


Por Rubens Francisco Lucchetti

segunda-feira, 20 de março de 2017

DUETOS ESSENCIAIS - Edgar Franco em parcerias com Quadrinhistas Consagrados e Emergentes

DUETOS ESSENCIAIS: novo álbum em quadrinhos de Edgar Franco apresenta parcerias com quadrinhistas consagrados e emergentes
Acaba de ser lançado pela editora Marca de Fantasia o álbum DUETOS ESSENCIAIS, o volume de 80 páginas apresenta uma seleção de histórias em quadrinhos curtas feitas em parcerias do Ciberpajé Edgar Franco com 23 significativos artistas da cena brasileira de quadrinhos, entre nomes consagrados como Júlio Shimamoto, Gian Danton, Gazy Andraus, Luciano Irrthum, Omar Viñole, Petter Baiestorf & Antonio Eder e outros emergentes. Saiba mais sobre a obra e veja como adquirí-la no link: http://ciberpaje.blogspot.com.br/2017/03/duetos-essenciais-novo-album-em.html

domingo, 19 de março de 2017

O AMARGO DO BEIJO – ISAAC TIAGO

O AMARGO DO BEIJO – ISAAC TIAGO
Quadrinho inspirado na canção de Raul Seixas! Novo trabalho de Isaac Tiago pelo selo Mico Trigo tem inspiração no rock brasileiro, publicação “rústica” tipo fanzine e tiragem limitada.
“E no teu beijo
Provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo
Mas tenho que encontrar”.
(Raul Seixas)
Neste mês de abril mais uma colaboração ao mercado nacional de quadrinhos surge para a contemplação dos leitores. O gibi – com tiragem limitada de 100 exemplares - foi concebido de maneira artesanal utilizando material popular, impressão caseira e montado pelas mãos do próprio autor que há muito tempo tinha vontade de produzir um material com essas características.
A história foi inspirada pela canção Um canto para minha morte do cantor Raul Seixas e traz ao leitor uma reflexão sobre a maneira como conduzimos nossa vida, as escolhas que fazemos, as oportunidades que deixamos de aproveitar e o que deixaremos para trás quando a vida chegar ao fim. Publicação: Independente pelo selo Mico Trigo (www.micotrigo.com.br).
Na trama, Raul (não é o Seixas) é perseguido por uma mulher misteriosa que insiste em convence-lo que não adianta mais adiar o inevitável e que por isso ele deve beijá-la imediatamente. Raul sabe que o beijo é inevitável e necessário para livra-lo do peso que carrega na consciência devido sua história de vida até o momento, mas fica relutante, pois sabe o que o beijo significa e teme sua consequência.
O lançamento acontece nos próximos dias 8 e 9 de Abril durante o evento Festival Guia dos Quadrinhos. O autor estará presente na mesa M38 durante os dois dias vendendo e autografando exemplares para os interessados.

Projeto Trindade - Luiz Gustavo Maduro Pereira

PROJETO TRINDADE - LUIZ GUSTAVO MADURO PEREIRA
Resumo
Tuna, rainha do Limbo, começa a perceber que o Limbo não recebe mais almas para serem julgadas a irem para o Céu ou Inferno. O Limbo, criado justamente para isso, está se desfazendo com o passar do tempo. Com o conhecimento de pergaminhos antigos, ela descobre que uma Criatura milenar quando despertada, suga todas as almas para dentro de si. Descobre também que não é nada fácil matá-la. Em vista desta ameaça, Tuna pede ajuda aos planos (Céu e Inferno) a fim de manter o equilíbrio. Numa convocação que ela faz, aparecem San Romam, um anjo representando o Céu, e Rato, um demônio que representa o Inferno. Juntos, embora contra a vontade, eles partem em busca do conhecimento para matar a Criatura.
Conheça os livros do projeto "Trindade, Uma Jornada Além da Morte" e "Destino, A Ascensão do Obscuro". Acesse o site: www.projetotrindade.com.br

sexta-feira, 17 de março de 2017

FANZINE QUADRITOS # 13 - MARCOS FREITAS - ATOMIC EDITORA

A mais recente edição do fanzine Quadritos já está disponível para download. São 64 páginas recheadas de quadrinhos, informações e muitas colaborações. Capa e entrevista com Elmano, contracapa de Shimamoto. HQs de Mozart Couto, Flávio Calazans, Ciberpaje, Danielle Barros e Lafaiete Nascimento. Estréia de Guabiras no humor e a coluna de Edgard Guimarães. Momento da Press Editorial enfocando a revista Maciota, de Paulo Paiva, Repórter HQ, Nação Xerox, Taverna e Cineclube Quadritos, ilustração de Luciano Irrthum e muito mais! A edição impressa está esgotando mas ainda restam exemplares a quem se interessar. Custa R$ 12,90 com entrega inclusa no valor. Grampo e dobra editorial, capa couche color 210g e miolo offset 90g pb.
Contato: atomiceditora@gmail.com
A edição 14 será comemorativa aos 30 anos do zine e as colaborações são muito bem vindas!
Link para baixar a edição:
http://www.mediafire.com/file/4jel9uj91zde5gj/Quadritos_13_DEZ_2016_150dpi_color.pdf.